Tão importante quanto as coleiras, as guias podem contribuir para um passeio mais confortável e seguro

Todos sabem o que são as coleiras, mas poucos reconhecem – ou conhecem – a importância da guia. São vários tipos, materiais e é preciso escolher a que mais se adequa às necessidades de seu animalzinho. Afinal, sem a guia, a coleira não teria tanta utilidade, seria apenas um colar no pescoço do cachorro.

Aos que não sabem, a guia é a “corda” que conecta a coleira às mãos dos tutores.  Elas possuem diversos materiais e estilos, visando atender todos os cachorrinhos. Para que fique fácil escolher a melhor opção, preparamos uma lista contando suas especificidades e características.

 

Confira dicas que vão te ajudar na escolha da melhor guia para o seu cachorro

Tipos de Materiais 

Nylon: as guias desse material são mais macias, confortáveis e não machucam – nem sua mão ao segurar, nem o corpinho de seu cachorro;

Elástico: são utilizadas, geralmente, em cachorros mais tranquilos, pois não dá estabilidade ao dono na hora de conduzir o animal e isso dificulta o controle dos mais agitados. Se precisar puxá-lo ou repreendê-lo será mais difícil, uma vez que você perde a firmeza por conta da elasticidade do material;

Couro: nesse tipo é necessário escolher um couro que seja macio e com tranças, de preferência, já que são os mais resistentes. Esse material exige o cuidado de não ser guardado molhado, tendo em vista que fica mais frágil e pode perder sua resistência;

Tecido: são geralmente feitas com um pano grosso e resistente e, por serem mais maleáveis, tendem a ser confortáveis e macias; 

Metal: a guia de metal pode  enferrujar e mesmo não sendo muito confortável, ainda é uma  das opções mais resistentes  para serem utilizadas em cachorros de grande porte. 

Tipos de Guias

Tradicional

As guias tradicionais são excelentes para passeios. Quando mais longas dão liberdade ao animal e quando são mais curtas dão as pessoas ao redor mais segurança. 

Retrátil 

Esse tipo, também conhecida como automática, permite que o tutor deixe mais longa ou mais curta a extensão da guia. Ou seja, em zonas de risco há possibilidade de ecurtá-la, mas se o cachorro está se comportando bem, de estendê-la.

Roliça

Este tipo é utilizado, geralmente, em cachorros desastrados que por algum motivo se enrolam na guia. Possui um material resistente, mais grosso que as demais e sua extensão é curta. Essa estrutura é ideal para ter mais firmeza e controle do bichinho.

Amortecedora

Este tipo contém um mecanismo capaz de amortecer puxões mais bruscos. Assim, em meio a uma situação de risco, o cachorro não sentirá o impacto tão forte da guia sendo puxada. Sua extensão é curta e ideal para cachorros mais agitados ou agressivos.

Em qualquer caso é necessário consultar um veterinário, afinal, de acordo com cada raça ou porte pode haver uma guia específica que seja mais confortável e útil. Além disso, é preciso pensar também na coleira que mais se adequa ao seu cãozinho . O combo guia e coleira pode ser um grande aliado da segurança e do conforto de seu passeio, o deixando mais tranquilo e feliz.

 

 

Fonte: canaldopet ig

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *